Cemitério Evangélico de Porto Alegre

Publicado: 1 de maio de 2011 em Arte Funerária, História

Natureza, paz e descanso…

Fundado em 1856, o Cemitério Evangélico de Porto Alegre, foi o primeiroCemitério-Jardim do Estado. Sua utilização para sepultamentos é aberta à todas as denominações religiosas.
“Começamos a morrer no 
momento em que nascemos, 
e o fim é o desfecho do início.”
 (Marcus Manilius)

“O Cemitério Evangélico caracteriza-se por ser um campo de sepultamento de imigrantes e descendentes da colonização teuta, já que a  Alemanha ainda não havia sido unificada em 1824, quando os primeiros imigrantes desembarcaram no Rio Grande do Sul. Destacando-se no desenvolvimento urbano e comercial da cidade, optaram por possuir espaços funerários condizentes com suas orientações culturais e religiosas. Assim surgiram os cemitérios de alemães evangélicos e os  cemitérios de alemães católicos. 

O Cemitério Evangélico de Porto Alegre é divido em  dois terrenos, localizados naAv. Oscar Pereira, 715 e 716, um em  frente ao outro.  É caracterizado pela coexistência da estatuária funerária e das lápides de mármore (antigas) com os túmulos em granito, de design simplificado (modernos).”


As fotos que seguem referem-se ao Modulo 2 que fica na Av. Oscar Pereira ao lado do Cemitério da Irmandade do Arcanjo São Miguel e Almas.

 “É mais fácil suportar a morte sem pensar nela 
do que suportar o pensamento da morte sem morrer.” 
Blaise Pascal

“Você possui apenas aquilo que 
não perderá com a morte; 
tudo o mais é ilusão.” 
Autor desconhecido









“Existem três tipos de pessoas: 
as que se preocupam até a morte, 
as que trabalham até morrer 
e as que se aborrecem até a morte.” 
Winston Churchill







“Os homens temem a morte como 
as crianças temem ir no escuro; 
e assim como esse medo natural 
das crianças é aumentado por contos”
Francis Bacon




“Se a morte fosse um bem, 
os deuses não seriam imortais.” 
Safo de Lesbos





“A morte do homem começa no instante 
em que ele desiste de aprender.”
Albino Teixeira


A vida se dá no seio da morte
Autora: Simone Cezimbra




“O homem fraco teme a morte, 
o desgraçado a chama; 
o valente a procura. 
Só o sensato a espera.” 
Benjamin Franklin





“Morrer é apenas não ser visto.
 Morrer é a curva da estrada.”
 Fernando Pessoa

“Se pudesse viver novamente, 
na próxima vida tentaria 
cometer mais erros.” 
Jorge Luis Borges









Consultas:

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s